Gestão de polos EAD: como manter a régua de qualidade entre diferentes polos?

23 de outubro de 2020

Aumento no número de polos EAD aumenta também a responsabilidade das instituições e a tecnologia é fundamental para manter a excelência.

A gestão de polos EAD é um dos maiores desafios das Instituições de Ensino Superior (IES) na atualidade, e com a tendência de aumento no número de alunos no EAD, a busca pela manutenção da qualidade ainda deve se manter por um bom tempo.

De acordo com dados do Censo da Educação Superior 2018, de 8.450.755 matrículas feitas no ensino superior em 2018, 24,34% (2.056.511) foram feitas na modalidade a distância, contra 75,66% (6.394.244) da modalidade presencial.

O aumento nas matrículas no EAD é evidente, pois a proporção foi de 21,20% no EAD contra 78,80% no presencial em 2017. Ao olhar ainda mais para trás, no ano de 2008, foram apenas 12,53% das matrículas em cursos a distância contra 87,47% nos presenciais.

Com uma crescente tão evidente, as IES precisam se preparar não apenas para ter polos capazes de atender a demanda dos alunos como também para garantir que o padrão de qualidade seja o mesmo em todas elas, ou seja, que o nível de aprendizagem de um aluno do Oiapoque seja o mesmo de quem estuda no Chuí.

O processo é desafiador, de fato, mas é possível. Continue conosco para saber o que as instituições podem fazer para que esse controle de qualidade seja mais eficiente, o que certamente corrobora para o seu sucesso e crescimento em um mercado com tanta competitividade.

Como fazer a gestão de polos EAD com excelência e manter o nível de qualidade elevado em todos eles?

Há várias dicas que podem ser aplicadas neste sentido, como as seguintes:

Invista em tecnologia de ponta para auxiliar na gestão

A primeira sugestão é simplesmente insubstituível. Em um cenário descentralizado, em que cada aluno está em um lugar diferente, a tecnologia é indispensável para coletar o máximo de dados e, assim, manter o total controle da situação.

Para conseguir atingir este objetivo com o máximo de excelência, o ideal é contar com pelo menos três soluções para a IES, que são as seguintes:

  • ERP (Enterprise Resource Planning) para gerenciar processos internos e centralizar informações;
  • LMS (Learning Management System) para gerenciar a aprendizagem e disponibilizar os cursos online;
  • SGP (Sistema de Gestão de Provas) para gerenciar os processos avaliativos e todas as atividades relacionadas a eles.

Em nosso artigo sobre integração de sistemas, nós comentamos que todos eles podem ser integrados, o que evita retrabalhos e falhas humanas no preenchimento de informações e, portanto, coloca a IES em outro patamar de eficiência e conectividade.

Ao ter todos eles trabalhando em conjunto, será perfeitamente possível monitorar a qualidade de ensino, o nível de aprendizagem dos alunos e seu desempenho nas avaliações, entre várias outras informações importantes, isso em todos os polos daquela instituição.

Como tudo isso pode ser acessado rapidamente por meio de um computador ou notebook, a apenas alguns cliques de distância, a padronização na gestão de polos EAD torna-se muito mais factível.

Unifique as soluções tecnológicas em todos os polos

Young afro american business man standing in front of stickers glass wall and looking on futures plans at his office place

A menção é breve, mas merece ser feita. A partir do momento que forem escolhidas as soluções tecnológicas a serem utilizadas, elas devem ser usadas em todos os polos EAD, independentemente de qual seja sua região, tamanho, quantidade de alunos atendidos ou mesmo a empresa responsável por sua gestão.

Com fusões e compras de instituições que movimentam a parte econômica do meio da educação superior, essa unificação por vezes pode se tornar em um problema. Por isso, é ideal que todas as soluções sejam compatíveis com esses acréscimos de polos EAD de modo que a centralização de informações seja unânime.

Pense em soluções facilmente escaláveis

Aliado ao que vimos anteriormente, não apenas é importante ter soluções tecnológicas eficazes para uma boa gestão de polos EAD, elas também devem ser escaláveis, ou seja, estarem preparadas para acompanhar o eventual crescimento no número de polos.

Em nosso artigo sobre como funciona a gestão do Ensino a Distância, nós comentamos sobre o Decreto nº 9.057, de 25 de maio de 2017, que atualizou a legislação sobre Ensino a Distância e possibilitou o crescimento da modalidade no país.

O resultado foi um crescimento ainda mais massivo. Um artigo do Estado de Minas, com dados de um levantamento do MEC, indicou que o número de polos EAD no Brasil aumentou 133% de maio de 2017 a julho de 2018 depois do Decreto citado acima, tendo passado de 6.583 para 15.394.

Este é um movimento que ainda tem muito o que crescer, especialmente quando consideramos que o Brasil é um país com dimensões continentais, constituído por 5.570 municípios em seus 26 estados mais o Distrito Federal, ou seja, espaço não falta para a popularização dos polos EAD.

Logo, tanto pelo aumento do número de polos quanto do próprio número de alunos matriculados na modalidade EAD, como vimos anteriormente, é fundamental que as soluções utilizadas estejam prontas para lidar com este movimento de uma maneira prática e descomplicada.

Leia também: Nova Portaria do MEC e EADs: como as IES podem se beneficiar

Ofereça treinamentos a todos os colaboradores que trabalham nos polos

Concentrated serious student working at laptop, studying, writing down important information, processing data. Intern training online, taking web courses

Por último, mas não menos importante, não podemos nos esquecer de que a qualidade da gestão de polos EAD não se limita apenas às soluções tecnológicas escolhidas, mas também passa pelos profissionais que atendem os alunos.

Se a régua de qualidade da instituição será mantida no que tange ao ensino, o mesmo também deve se aplicar ao atendimento oferecido aos estudantes, que deve ser o mesmo nas capitais dos estados e em unidades mais distantes, nas que recebem centenas de alunos e nas que atendem a poucas dezenas deles.

Para manter uma padronização completa neste sentido, torna-se necessário investir na plena capacitação dos colaboradores, que precisam estar preparados para lidar com as demandas recebidas por parte dos alunos e também saber como orientá-los em relação ao que foge de suas alçadas.

Uma maneira prática, eficiente e econômica é criar tutoriais em vídeo que ensinem os colaboradores a usar todas as soluções tecnológicas escolhidas, em conjunto com uma linha de contato direta com especialistas que possam tirar eventuais dúvidas, como a equipe de suporte de TI, por exemplo.

Com isso, além de um atendimento primoroso, a instituição também consolida sua imagem no atendimento ao cliente, o que pesa bastante na manutenção dos alunos atuais e na captação de novos estudantes, que saberão que terão todo o apoio necessário.

Saiba mais: Como funciona a gestão do Ensino a Distância?

Gestão de polos EAD: uma preocupação central das IES na atualidade

Grey marble column details on building in Shanghai,China.

Não há dúvidas de que o EAD veio para ficar. Seu crescimento notório ficará ainda mais evidente com o ensino híbrido, caminho para o retorno às aulas presenciais e que deve se consolidar como outra grande tendência na educação.

Com um aumento na quantidade de polos EAD, não se pode de maneira nenhuma abandonar a qualidade, e a aplicação das dicas que separamos neste conteúdo ajudará a lidar com alguns dos principais desafios por parte da sua instituição.

Outra sugestão é contar com o Prova Fácil Avaliações Regulares como o SGP da sua instituição de ensino. Completo, inteligente e seguro, ele é facilmente integrável com outros ERPs e LMS, ou seja, perfeito para sua IES.

Investir em uma gestão de polos EAD excelente é uma poderosa base para pavimentar o sucesso da sua instituição de ensino superior a curto, médio e longo prazo, e quanto antes isso for colocado em prática, mais rapidamente será possível comprovar os resultados na prática.